sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Meet&Greet // Paulo Mateus e a fuga para o paraíso

Olá pessoal! Hoje é dia de entrevistar e conhecer um novo autor nacional aqui no blog. O convidado da vez é o Paulo Mateus, autor do livro distópico "Fuga para o paraíso", recentemente lançado na Amazon. 


Sinopse
Uma grande guerra quase levou os humanos a aniquilação total, destruindo a maior parte dos recursos naturais existentes no planeta. Com uma atmosfera densa que bloqueia a luz do sol e um ar tóxico os sobreviventes tentam reerguer a sociedade humana. Pequenos impérios na forma de cidades altamente tecnológicas surgem, as diferenças dessas sociedades e os desafios do mundo interior e exterior se tornam cada vez maiores, obrigando essas sociedades a financiarem campanhas militares para continuarem existindo.
Além de todos esses desafios uma nova droga surge e começa a se espalhar rapidamente entre as pessoas, abalando todas as estruturas de um mundo já decadente.
Sobre o autor
Sou de Pouso Alegre - MG, cheguei a cursar administração, mas por não gostar muito da faculdade acabei saindo. Atualmente não estou cursando nada. Como leitor sempre gostei muito de fantasia e ficção cientifica, pois são gêneros que possuem uma capacidade muito grande de levar o leitor para outros mundos. E, claro, por gostar muito dessa área meus primeiros rascunhos começaram pela fantasia. Mas além dos livros também gosto muito de animes e filmes, principalmente se forem de ficção cientifica. Hoje com a Netflix fica fácil perder horas do dia com isso hahaha.
Entrevista

A Colecionadora de Histórias: Olá Paulo, seja bem vindo ao ACDH. Gostaríamos de saber mais sobre sua relação com a escrita e trajetória como autor.
Paulo Mateus: Minha relação com a escrita começou a uns quatro ou cinco anos atrás, fazendo rascunhos de poemas e contos de terror, tudo sem muito compromisso. Hoje em dia escrevo de forma mais séria, mas ainda é um hobby, publicando contos e livros na amazon, mas a cada livro novo vou me profissionalizando e me dedicando mais para agradar as pessoas que comprarão os e-books.

A Colecionadora de Histórias: Em "Fuga para o paraíso", de onde surgiu a ideia para a história, quanto tempo demorou para terminá-la?
Paulo Mateus: A história surgiu logo depois que assisti os animes Ergo Proxy e Psycho-Pass, onde apareciam sociedades alternativas vivendo em conjunto com tecnologias super avançadas, principalmente em Ergo Proxy onde as pessoas vivem confinadas em uma redoma. A ideia de escrever uma distopia usando esses elementos me pareceu muito atrativa, pois me parecia um terreno fértil e não muito explorado ultimamente. O livro demorou cerca de quatro meses para ficar pronto.

A Colecionadora de Histórias: Como a sinopse foca mais em explicar o cenário distópico criado, fale um pouco sobre os personagens do seu livro.
Paulo Mateus: Os principais personagens são a Cristina e o Ivan, que começam a história trabalhando no departamento de policia, Cristina é bastante inteligente e observadora, características que fazem ela evoluir muito no decorrer do livro. Ivan é pessimista, e logo percebe que a sociedade está ruindo. Outro personagem importante é Isaac, um soldado da patrulha exterior que atua fora da redoma, ele é experiente e ajuda Cristina em vários momentos.

A Colecionadora de Histórias: O que o leitor pode esperar de "Fuga para o paraíso"?
Paulo Mateus: O leitor vai encontrar uma distopia com um ambiente altamente tecnológico em contraste com um mundo devastado, e uma droga assustadora e até em certo ponto interessante. E acompanhar a trajetória de pequenos impérios que surgiram nesse mundo.

A Colecionadora de Histórias: Nos conte uma curiosidade inédita sobre o livro ou deixe um trechinho que chame a nossa atenção.

"Assim que entrou no que parecia ser uma cozinha Cristina sentiu um arrepio lhe percorrer o corpo, havia três pessoas estiradas no chão, todas com manchas vermelhas pelo corpo e veias roxas e saltadas. Ela se abaixou para analisar melhor, dois eram jovens, pareciam adolescentes, e o outro era mais velho, na casa dos quarenta anos.
Ela pegou seu relógio e mandou uma mensagem para Ivan, pedindo para ele vir até onde estava. Mas quando tentou se levantar sentiu-se tonta e teve que se apoiar no chão para não cair. A mesa da cozinha transformou-se em algo feito de galhos e folhas, as paredes ficaram forradas por ervas e flores, e o piso do chão desapareceu, deixando apenas a terra úmida e fofa. Instantes depois as paredes também desapareceram, ela pode ver a redoma, mas em seguida ela também desapareceu. Dando lugar a uma terra verde e florida, onde uma brisa refrescante parecia trazer ao seu olfato os melhores perfumes.
— Cristina! – gritou Ivan.
— Acorda! – os gritos soavam distantes e distorcidos.
— Vamos... – seu mundo feliz e perfeito começou a ruir como peças de um quebra-cabeça se desfazendo e arruinando a figura.
— Finalmente... – suspirou ele ao ver os olhos de Cristina se abrirem.
— Onde, onde estou? – ela olhou ao redor tentando se orientar.
— Do lado de fora da casa que viemos investigar, não se esforce, você respirou muito daquele negócio, tenho que te levar para um hospital." Trecho de Fuga para o paraíso - Paulo Mateus

A Colecionadora de Histórias: Você teria alguma indicação de leitura para dar? Quais autores te inspiram/são seus favoritos?
Paulo Mateus: Vou indicar os livros do Eduardo Spohr, especialmente A Batalha do Apocalipse e Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida, são livros nacionais realmente fantásticos. Meus autores favoritos são Anne Frank e seu incrível diário, e Paulo Coelho e sua simplicidade nos livros.

A Colecionadora de Histórias: O que você pensa sobre o cenário atual da literatura nacional?
Paulo Mateus: O cenário literário atual está muito bom, mostrando que os brasileiros são capazes de contar histórias tão boas quanto os escritores gringos. Alguns anos atrás o gênero de fantasia literalmente explodiu, inundando o mercado com esse tipo de literatura, o que foi bom pois revelou escritores excelentes. Mas atualmente esses livros estão saturando o mercado, com cada vez mais livros parecidos sendo lançados, especialmente para o publico jovem. A minha opinião é a seguinte: ou as editoras vão começar a apostar em gêneros ainda não muito explorados ou isso ainda vai continuar assim por um bom tempo. O que pode ser bom ou ruim dependendo do seu gosto literário.

A Colecionadora de Histórias: Deixe uma mensagem final para os leitores do blog.
Paulo Mateus: Convido a todos para darem uma olhada em Fuga para o Paraíso, se você gosta de distopias e ficção cientifica com certeza vai gostar. Também tenho que agradecer ao blog ACDH por me disponibilizar esse pequeno espaço no site. Sucesso ao blog e boa leitura a todos.

Obrigada Paulo por participar da nossa coluna :)
E aí, curtiram a dica? :*

13 comentários:

  1. Oi Carol,
    Não conhecia o livro e nem o autor. Adorei a entrevista, é tão bacana, pois acabamos conhecendo um pouquinho mais do processo de escrita do livro.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carolll!! Tudo bom??

    Gosto de ler como os autores traçam sua aventura no meio da criação literária de seus livros. Foi bom saber um pouquinho mais sobre esse escritor. Desejo muito sucesso para ele! Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Carol, tudo bem?
    Já tinha visto a divulgação desse livro num blog, a capa é linda né?
    Gostei da entrevista, já aguardo resenha.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm gostei da capa, Esther!
      Infelizmente não vai ter resenha aqui no blog, estamos ajudando na divulgação por enquanto.

      Excluir
  4. Oi Carolzinha,
    Que blog chique, uma entrevista super especial!
    Eu já tinha visto o Paulo em outro blog e me interessei pelo livro, vou procurar na Amazon!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Carol! Não conhecia o autor, mas ele gosta de animes! \o/ já super me identifiquei! Gostei da sinopse do livro! Parabéns pela entrevista!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oii! Adoro entrevistas com autores! Já dei uma olhadinha no livro e parece ser bem legal!

    Oii!
    Gostei da sua resenha! Nunca li um romance de época então não sei dizer se eu gostaria ou não. Vou deixar o sorteio pra quem gosta mesmo!

    Beijos,
    Natália.

    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi
    gostei de ver essa entrevista, estou lendo o e-book desse livro, estou gostando, espero até semana que vem deve ter resenha.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Carol

    Eu tenho que postar a divulgação desse livro, ando bem enrolada.
    Gostei da entrevista. Não conheço os filmes que o inspiraram, na verdade nunca ouvi falar.
    Esse trecho que ele colocou é bem interessante.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Carol, tudo bem?
    O autor parece muito simpático e a sinopse do livro me chamou a atenção, pois adoro distopias!
    Parabéns pra vocês e muito sucesso! ;)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  10. Oi, Carol!
    Gostei muito dessa entrevista, obrigada por disponibilizá-la em seu blog! Achei interessante todo o cenário do livro. Distopias estão em alta e é bem legal ver escritores nacionais explorando esse conceito. Fiquei impressionada por ele ter escrito tudo em 4 meses! "Quero ser assim quando eu crescer" haha
    xx

    A Blanket Fort

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim Tamiris, tbm quero ser assim, pensei a msm coisa kkkk ;) Fico feliz por ter gostado, obrigada!

      Excluir

Querido leitor, deixe seu comentário, ele é muito importante pra nós! *-*
Vamos adorar visitar seu blog e retribuir, é só deixar o link ;D