quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Resenha // Os Guardiões: Sombras - Nanci Penna


Sombras

Livro: Os Guardiões - Sombras
Autora: Nanci Penna
Editora: MODO
Gênero: Romance Sobrenatural
Ano: 2014
Páginas: 286
Literatura Nacional
Volume: 1 de 3
Avaliação: 4,0





Sinopse
Um acidente, um passado, um mistério e um amor que nunca deveria ter sido interrompido.
Quantos segundos são precisos para se destruir a vida de uma pessoa?
Daphne, com apenas 18 anos, é capaz de responder a essa pergunta.
Mas ela ainda não está pronta para responder: quantas vidas uma pessoa tem o direito de viver? Ou ainda, quantos amores essa pessoa tem o direito de ter?
No fim de tudo Daphne, com certeza, conseguirá ter respostas a essas perguntas também, mas agora não, porque ela ainda tem muito que viver.
Daphne é uma promissora violinista, estuda na melhor universidade do país, sua vida é a sua música, até o dia em que um misterioso acidente a coloca frente a frente com a morte. Desse dia em diante, sua vida nunca mais será a mesma, alguém quer vê-la morta e sucessivas tentativas acabam aproximando-a de seu verdadeiro amor, mas muitos conspiram contra isso, muitos dos quais ela sequer desconfia.
Sua vida se transforma em uma verdadeira montanha russa, vive cercada de homens lindos, mas em quem ela pode confiar? No sensual Sebastian que a põe louca com seu perfume inebriante, seu sorriso jocoso e seu jeito atrevido? No incrivelmente lindo Theos que sempre está ao seu lado nos momentos mais difíceis? Ou no enigmático Kaled que é o homem mais lindo que um dia ela já conhecera?
Mas o seu destino já está traçado e escrito no Livro da Vida; só é preciso recuperá-lo antes que alguém escreva nele alguma coisa diferente.

Ano passado a autora e amiga Nanci Penna me presenteou com seu livro, e não demorei muito pra ler, mas a resenha atrasou por vários motivos. Sempre tive curiosidade de lê-lo (romances sobrenaturais sempre me deixam assim, seja qual for), e agradeço a ela por tê-lo confiado a mim. No geral, Os Guardiões: Sombras me agradou em vários aspectos.

A história se passa em Oxford, na Inglaterra. Daphne sofre um acidente de carro quando estava indo para a casa dos pais, e quase perde a vida. Foi um milagre ter sobrevivido. Depois de se recuperar, ela volta para a república onde mora perto da faculdade. Daphne cursa música em Oxford, e tem dois melhores amigos: Giulia, que faz fotografia, e Theos, que toca harpa e faz parte da orquestra de Oxford.
Enquanto estava no hospital, sua colega de quarto morre afogada, mas ela era ótima em natação, e por isso Daphne começa a suspeitar de que tenha sido um assassinato. E suas suspeitas só aumentam quando coisas estranhas começam a acontecer: telefonemas para ela de número “Desconhecido”, pesadelos, uma cartomante misteriosa... E Theos começa a agir de forma diferente (principalmente em relação a Sebastian, um garoto novo da faculdade muito atrevido para o gosto de Daphne). E o que isso tem a ver com a colega de quarto? Nada, e esse é o problema. Tudo tem a ver com Daphne.
Nunca me senti tão impotente assim, tão frágil, tão vulnerável, tão à mercê do que seja lá o que for.


A história de “Sombras” começa um pouco confusa: a autora começa a narrar em primeira pessoa através de um anjo, e depois muda para a narração, também em primeira pessoa, da Daphne, sem nenhuma indicação de mudança. E aí você vai percebendo que a narrativa tem outros problemas: de pontuação, organização dos diálogos, ligação entre as cenas e afins. Realmente a revisão deixou um pouco a desejar, uma pena.

Apesar desses problemas, a trama de Sombras é super válida. Depois das primeiras 50 páginas a história começou a me ganhar, com o enredo envolvente que mantém o leitor interessado.
Não tenho o costume de ler livros sobre anjos, já aviso. Mas gostei muito de Sombras, com suas referências bíblicas, mitológicas, históricas e musicais; e o leve tom clichê em alguns de seus diálogos.
[...] o mundo era feito de sons, do ruflar das asas de um pequenino beija-flor, até o marchar estrondoso de uma boiada fora de controle, ou será que assim era a vida feita de sons, feita de música?
Mas, de uma coisa, eu tinha a mais absoluta certeza: a música era a minha vida, eu poderia perder tudo no mundo, mas jamais viveria sem ela.

Vamos falar sobre os personagens. Daphne é uma protagonista... Sortuda! Rsrs Com três meninos lindos ao seu redor, ela não deveria se lamentar (aliás, não fica muito claro o que ela tem pra ter tanto homem ao redor kkk ). Ela tem altos e baixos durante a história, horas irrita, mas entendo que tinha muita coisa acontecendo com ela ao mesmo tempo XD
Temos também a insegurança do Sebastian; a segurança do Theos; a paz e ternura de Kaled... Nenhum dos 3 é perfeito, mas fiquei confusa, gostei dos 3! hahaha. Sebastian é o personagem que teve o humor e intensidade suficientes pra salvar todo o clima tenso do livro. Quem conquista o leitor também é a Giulia, uma amiga da Daphne super alto astral, divertida e bondosa.
Como ele era lindo, perfeito, ele era perfeito em todos os aspectos e, então, por quê? Por que eu não estava perdidamente apaixonada por ele? sobre Theos / Nunca alguém tinha ultrapassado assim tão facilmente a barreira invisível que eu sempre fiz questão de colocar entre mim e os garotos. sobre Sebastian / [...] estiquei minha mão lentamente e fiz o que sempre sonhara em fazer, eu toquei seu rosto, mas, eu queria tocar mais do que seu rosto, eu queria tocar seu coração. sobre Kaled

O que vocês precisam saber: alguns desses personagens são anjos; e todos estão envolvidos em uma trama muito maior. Todos os seres do universo estão debaixo das leis, e ainda que você seja um anjo, por exemplo, não deve quebrar algumas delas...
Os homens ganharam o poder do livre arbítrio, eles têm o privilégio da escolha, mas isso não garante a eles a imunidade por uma escolha errada. Devido ao livre arbítrio ser uma exclusividade dos homens, eles acabam sendo alvos de inveja dos outros que não possuem tal regalia.

Que mais posso dizer... Apesar do toque sobrenatural, o livro é bem próximo da realidade, meio que imagino essas coisas acontecendo com alguém kkk. Fiquei surpresa com as atitudes e sentimentos dos anjos da história, a autora desenvolveu muito bem essa parte. Estou muito curiosa pra saber o que realmente há por trás de tudo, tenho certeza de que tem muito pra acontecer ainda nos próximos livros.

Falando nisso, Sombras, como primeiro volume de trilogia, foi até esclarecedor, apesar de o leitor ficar limitado ao que a protagonista sabe por muito tempo (e ela não tem muitos progressos). Quando comecei a achar que as coisas importantes iam ficar para serem resolvidas no segundo livro, vem aquela enxurrada de revelações inesperadas no final!
Ainda assim, faltaram algumas pequenas questões a serem esclarecidas, não sei se por esquecimento ou se realmente ficaram pra mais tarde, rs.
[...] eu vejo perseguição, não consigo ver o rosto, uma figura sem rosto, um anjo da morte, eu vejo morte.

Pode ser cansativo para alguns leitores toda a calma em contar cada desconfiança e susto de Daphne. Fica até uma impressão meio que de repetição das cenas para enrolar até o final. Acho que o livro também peca no quesito de tudo girar em torno da protagonista: isso tem como ser mudado nas continuações, colocando alguma intriga superior que não tenha nada a ver com a Daphne diretamente, mas com o universo criado em si. Seria legal, tem potencial para muitas possibilidades.
Eu estava de saco cheio de todos esses mistérios, desse jogo de meias palavras, desses segredos de leis, isso pode, isso não pode, de todos eles, sem exceção; de Theos, de Sebastian e de Kaled.

A diagramação do livro está sensacional, bem diferente *-* A autora dá títulos pertinentes para cada capítulo, o que achei bem legal. Preciso destacar também que, pra quem costuma ler romances sobrenaturais, essa história não fica no senso comum.  Alguns elementos responsáveis por isso são: o amor pela música, as referências que citei lá em cima, o “quadrângulo” amoroso e a atitude da Daphne em relação a isso, o fato do romance não ofuscar outros aspectos da história...
Recomendo “Os Guardiões: Sombras” pra quem gosta de suspirar com personagens masculinos, gosta do tema de anjos, de música, mitologia, mistério e aventura.
[...] muitas vezes, o amor cega e pessoas boas podem se tornar pessoas más.

21 comentários:

  1. Oi, Carol! Tudo bem? Ah, essa capa desse livro é muito linda, né? Gosto de alguns elementos do livro, e outros não. E agora? O que faço? hahahaha Adorei a resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, pois é Tony! Tive um pouco de dificuldade pra escrever a resenha por causa disso. Mas vai do gosto de cada um, né?

      Excluir
  2. Oiii
    Gostei da diagramação, gosto quando as editoras dão um olhar especial para esse tipo de coisa.
    Mas realmente me desanima quando o livro tem tantos erros de revisão. Um ou outro a gente deixa passar, mas deve-se ter bastante cuidado com isso.

    Beijo

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá :)
    A premissa do livro promete uma história bem interessante, adorei a resenha!

    Beijos,
    livrosentretenimento.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha, o livro até me chama atenção...
    Mas vou passar longe dele, não tenho como inciar uma trilogia ou série tão cedo, tenho várias aqui em casa pra concluir e estou fugindo de livros com continuação, que sabe em um futuro próximo...

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Carol.
    Até esses dias atras estava enjoada de livros assim, mas não é que entrou o ano e comecei a gostar de novo e já vou para o meu terceiro livro do gênero hehe. Achei a capa muito linda e a história interessante. Mas fiquei com um pé atras por causa do começo ser um pouco confuso. Mas é um livro que eu leria sim. parabéns pela resenha, ficou ótima.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg Sil! É verdade né, as vezes nossos gostos mudam do nada! Hahaha
      Mas leia sim, o começo é compensado pelo resto, rs :*

      Excluir
  6. Oi Carol!
    Achei a capa linda, mas confesso que a premissa não me conquistou muito :(

    Abraços
    David
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  7. Ooooi Carol!
    Confesso que gosto de histórias com anjos, hein?
    Só Fallen que me irritou um pouco, mas essa premissa me deixou ansiosa.
    Gostei da capa e quero saber qual dos 3 garotos eu vou gostar mais, já que você ficou confusa, HAHAHA
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Carol, tudo bem? Amei a resenha, mas confesso que não é o tipo de livro que eu leria no momento ;P
    Estou mais na onda de ler os clássicos e afins :3
    E também não gosto muito de histórias de anjos. Tive algumas decepções bem ruins e acabei largando esses personagens de mão hahahhahah
    Mas tirando isso, gostei bastante dos outros aspectos do enredo. :)
    Sucesso para a autora e que os próximos volumes sejam ainda melhores
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oii, gostei muito da sua resenha. A capa é linda e gostei da premissa, amo anjos <3 Vou procurar pra comprar!

    Já já sai sorteio lá no blog, fica de olho ;)

    Beijos,
    Natália
    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Natália, vai com tudo! ;) bjs

      Excluir
  10. Que capa mais linda! Faz tempo que nao leio sobre anjos, saiu um pouco de moda, mas ate tenho saudades da epoca sobrenatural dos livros. No entanto, alguns pontos me desanimaram, como a revisao (que sempre acaba irritando na hora de ler reparar nos errinhos né) e na menina rodeada de cara em volta, um cliche bem chato kkkk mas fora isso, a história parece ser boa!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "O Lado Feio do Amor", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem peguei essa moda xará, rsrs. Ainda n li Sussurro, Fallen...
      É verdade kkk, mas fora isso a história é boa sim! :*

      Excluir
  11. Oii, achei a capa arrasadora! Linda mesmo, mas não é o tipo de livro que me interesso de cara. Talvez a verdade é que eu nunca dei uma oportunidade para esse tipo de premissa.
    Beijos
    www.euvoceeoslivros.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, Carol, tudo bem?

    Que capa mais linda! Que pena que a revisão deixou um pouco a desejar...essa capa não merecia esse deslize! haahaha
    Eu não curto muito quando um autor nacional escreve uma história que não se passa no Brasil, sabe? A não ser que ele crie um mundo novo, aí tudo bem...mas isso é apenas um detalhe e eu não deixo de ler o livro por causa disso.
    Acho que não leria o livro no momento...não me dou muito bem com histórias que têm anjos. De todas que li até hoje apenas uma me agradou. Mas quem sabe no futuro, né?

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  13. Carol, muito organizada sua resenha, adorei ;)
    Eu não conhecia esse livro, foi bom ler sua resenha!

    ps: Te indiquei em uma tag!
    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Não conhecia esse livro, mas confesso que pela temática e outras coisas não cheguei a me interessar pela obra, sabe? Questão de gosto e falta de interesse mesmo.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi, Carol!
    Eu não sei se leria este livro. A premissa não me convenceu e acredito que iria me incomodar com alguns dos aspectos estruturais da história.
    Mas fico feliz que tenha gostado de modo geral.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi Carol!
    Livros com uma revisão ruim me desagradam muito. A história parece interessante, mas não chamou a minha atenção.

    Beijos,
    Epílogos e Finais

    ResponderExcluir

Querido leitor, deixe seu comentário, ele é muito importante pra nós! *-*
Vamos adorar visitar seu blog e retribuir, é só deixar o link ;D